Escrever diversos artigos a cada ano vem com alguns benefícios adicionais.

Um deles é lidar com críticas. Eu nunca tive tantos críticos antes, então é um novo belo mundo. Parece que tenho mais críticas no LinkedIn. Hoje recebi uma mensagem de um simpático seguidor dizendo: “Tim, não deixe as críticas te derrubarem”.

Minha resposta (na minha cabeça) foi “Eles não me derrubam. Críticos, amo vocês. ”

Aqui está o porquê:

Devolver a negatividade não leva a nada.

É por isso que eu só posso amar meus críticos.

O contrário é odiá-los e se envolver em repetidas conversas negativas que tentam determinar quem tem a razão.

Eu escolho abraçar meus críticos e unir forças com eles. Eu escolho ver o outro lado e tentar a todo custo ver o lado positivo que estão dizendo – mesmo que seja negativo e destrua meu valioso ego.

Devolver a negatividade sugará a energia que preciso para escrever essas palavras e inspirar tantas pessoas quanto eu puder. Isso não é um preço que eu estou disposto a pagar, e você também não deve participar desse jogo.

Você tem direito a sua opinião.

Afrodescendente, Branco, Oriental, Mexicano, Vegano, Bi-Sexual, Homossexual, Liberal – seja qual for sua opinião e de onde você venha neste planeta, acredito que você tenha direito a sua opinião. É a única coisa que não pode ser tirada de você.

Para evitar críticas, não faça nada, não diga nada, não seja nada.

Elbert Hubbard

Algumas são negativas e outras positivas. De qualquer forma, eles não concordam com você (e comigo). Os críticos mostram que todos nós temos uma voz e a liberdade nos permite exercê-la.

Erro muitas vezes.

Na verdade, mais do que eu gostaria de admitir. Eu estava errado sobre as telas sensíveis ao toque se tornarem tão comum; eu estava errado sobre as vagens de café Nespresso até deslancharem; e estava errado sobre a força que o casamento gay vinha ganhando no meu país, até que em última instância, foi implementado.

Todos somos críticos em algum momento de nossas vidas. Na maioria das vezes, estaremos errados. Não sou a fonte do conhecimento que Yoda protege com a vida dele, assim como também não são meus críticos.

Eu desafio meus pensamentos.

No momento, minhas ideias parecem o álbum Dark Side Of The Moon de Pink Floyd (ou seja, uma obra-prima). A razão pela qual eu amo as críticas é que muitas vezes me mostram que algumas de minhas ideias são como a música dos anos 90 “Asshole“. Em outras palavras, é horrível, condescendente, ofensivo e impreciso.

Os críticos não aceitarão um não às vezes. Eles procuram o meu verdadeiro porquê e me responsabilizam. Eles garantem que estou entregando valor em vez de conteúdo autopromocional (apesar de não ser meu objetivo).

Esses corajosos e simpáticos críticos questionam minhas fontes, me corrigem nas citações que extrai de livros e até mesmo fornecendo serviços gratuitos de correção ortográfica e gramática diretamente ao meu e-mail! Quero dizer, eu deveria pagá-los pelo serviço. Desnecessário dizer, mas eles têm meu carinho.

Leia também: Como fazer seus haters gostarem de você

Não estou tentando alcançar todos (1000 verdadeiros fãs).

De cada 100 pessoas que eu almejo, provavelmente terei menos de 50% desses leitores, curtindo minhas coisas ou tirando valor disso. Nunca conseguirei que todos concordem com o meu estilo de vida. E não estou tentando. Alguns dos meus críticos que odeiam meu trabalho até admitiram em alguma ocasião que aprenderam pelo menos uma coisa.

Aprendo mais com meus críticos do que meus próprios amigos, mentores e familiares. O objetivo do jogo não é converter todos para sua tribo. Aprendi com o grande Kevin Kelly, tudo o que você realmente precisa é 1000 verdadeiros fãs.

Esses fãs podem compartilhar sua mensagem para você e é o suficiente para obter uma renda se você tiver um negócio online.

Os críticos são como um banho frio.

O que eu quero dizer? Os seus críticos são bons para você, assim como um banho gelado. Eles te deixam desconfortáveis ​​e não importa quantas vezes você se envolva com um, eles sempre surpreendem.

Você precisa se sentir desconfortável para realizar grandes coisas. Os críticos fornecem esse serviço – novamente, de graça. Você precisa abraçar seus críticos e tratá-los como mentores. Algo do que eles dizem são bobagens, mas no fundo, há conselhos valiosos escondidos.

Eu vi Tai Lopez fazer uma entrevista recentemente com um de seus críticos e foi interessante assistir. Tai aprendeu muito com ele que acabou o convidando para um almoço.

Se você quer ser alguém, apaixone-se por seus críticos.

Críticos, amo vocês. Beijo!