A Walt Disney Company é uma corporação multinacional de mídia avaliada em 45.429 bilhões de dólares. É a segunda maior empresa de radiodifusão e cabeamento do mundo e moldou a infância e a cultura pop de milhões, provavelmente bilhões, de pessoas. É simplesmente a empresa mais conhecida da história.

E tudo começou com um homem.

Poucas pessoas mudaram esse mundo da mesma forma que Walt Disney mudou. Ele prova que circunstância e educação não determinam o que você pode se tornar. Suas lições de vida servem como excelentes lembretes para jovens empresários.

1. Você deve ser um vendedor

“Eu diria que foi meu maior problema toda a minha vida… o dinheiro. É preciso muito dinheiro para tornar os sonhos realidade.”

As vendas são mal vistas, mas não se enganem, vender é a habilidade mais importante que você pode dominar. E como Walt disse, os sonhos custam dinheiro e o dinheiro vem das vendas. Walt acreditava em si mesmo e em seus sonhos e, portanto, poderia convencer os outros a acreditar nele também. Faltando pouco para concluir “Branca de Neve e os Sete Anões”, Disney ficou sem dinheiro para terminar o filme que se chamava “Disney’s Folly”. Até mesmo sua própria família o implorou para que desistisse, mas Disney estava determinado.

Ele pessoalmente contatou diferentes produtores e mostrou-lhes as imagens do filme e os convenceu a finalizar o financiamento. “Branca de Neve e os Sete Anões” tornou-se um sucesso imediato e inaugurou a Era de Ouro da Animação. Para financiar atrações na Disneylândia, ele convenceu os estúdios de televisão a financiar a construção do parque em troca da programação original da Disney. Adivinha qual era a programação? Eram basicamente propagandas para a Disneylândia! Este plano genial não só financiou o parque, mas, no momento em que abriu, havia milhões de pessoas que não podiam esperar para ir! Pela provou ser uma das campanhas de mídia mais bem-sucedidas já realizadas e ajudou a Disneylândia a crescer até o patamar internacional que sustenta hoje.

2. A liderança é inspiração, inovação e foco

“Você pode projetar e criar, e construir o lugar mais maravilhoso do mundo. Mas leva as pessoas a fazer o sonho uma realidade.”

A chave da liderança de Walt Disney é que ele era um contador de histórias incrível. Uma coisa é dizer aos seus funcionários que façam algo, outra é inspirá-los a fazer. Walt contava uma história. Ele entrava em detalhes extremos e se tornada muito vivo para eles. Ele inspirava seus empregados e fazia deles parte dessa história também e, como resultado, ele conseguia extrair mais de seus funcionários. Quando ele começou a selecionar seus animadores na história de Branca de Neve, ele contou toda a história, agindo como os personagens, inclusive fazendo suas diferentes vozes e movimentos.

Walt tinha uma capacidade única de contratar pessoas mais talentosas do que ele e focar suas atenções em um objetivo comum. Ele admitia ser um animador terrível. Então ele contratou o melhor que conseguia pagar e se concentrou em inovar a empresa. Ele também conhecia seus empregados. Ele sabia do que eram capazes e não aceitava nada menos que o melhor. Ele podia não ser a pessoa mais amigável, mas ele sempre deixou claro sobre seus planos.

3. Esteja sempre melhorando

“Sempre que faço alguma coisa, eu sempre penso no que pode haver de errado e como pode ser melhorado.”

Walt acreditava no futuro. Ele insistiu que “Guilherme, o timoneiro” tivesse a sonoplastia sincronizada e gravada, algo inédito para um desenho animado naquele momento.

Antes de Branca de Neve, não havia um filme animado de longa duração. Depois de se tornar um grande sucesso e literalmente mudar a indústria cinematográfica, levou ao sucesso de vários clássicos da Disney mais queridos como “Cinderela”, “Alice no País das Maravilhas” e “Fantasia”. Walt Disney poderia ter descansado em seus louros, mas esse não era o estilo dele. Em vez disso, ele mudou completamente as engrenagens e começou a construir um parque de diversões onde pais e filhos pudessem se divertir juntos. Uma vez que a Disneylândia abriu, Walt caminhou pelo parque, testando pessoalmente todos os brinquedos, percebendo se algo estava fora do lugar e perguntando aos convidados suas opiniões.

Se ele visse que algo estava errado, ele voltaria pessoalmente conferir se já estava consertado. Como seus animadores podem atestar, “o suficiente” nunca foi o suficiente para o Walt Disney.

4. Desenvolva uma alta tolerância ao risco

“Continuamos avançando, abrindo novas portas e fazendo coisas novas, porque somos curiosos e a curiosidade continua nos levando a novos caminhos.”

Walt se arriscou muito em sua carreira. Várias vezes o futuro de toda a empresa de Disney pendia sobre se um empreendimento era um sucesso ou fracasso. Por algumas vezes, Walt teve que hipotecar ou vender seus bens pessoais. Ele nunca fez isso a esmo. Ele pesava cuidadosamente os dois lados e tomava uma decisão e, uma vez decidido, nunca voltava atrás.

Em 1955, a Disneylândia foi a maior aposta na história dos negócios americanos. Walt lutou para encontrar financiamento e sua própria família, incluindo o parceiro comercial Roy Disney, pediram a ele que desistisse. Na época, nada como a Disneylândia tinha sido tentado, então havia um consenso geral de que era impossível. Walt seguiu mesmo assim. Se a Disneylândia falhasse, teria sido o fim da empresa. Hoje, os parques temáticos de Disney trazem bilhões de receitas e milhões de visitantes por ano.

5. Mude sua atitude em relação ao fracasso

“Todas as adversidades que tive na minha vida, todos os meus problemas e obstáculos, me fortaleceram… Você pode não perceber quando acontece, mas um chute no traseiro pode ser a melhor coisa do mundo para você.”

Walt Disney falhou, muito. Seu primeiro estúdio, Laugh O ‘Grams, jamais lucrou. Mas o mais notável foi o fiasco de “Osvaldo, o Coelho Sortudo”. Ele perdeu tudo, seu estúdio, seus equipamentos, seus animadores e suas criações. Mas a partir das cinzas daquela falha enorme, um dos personagens mais amados já foi criado. No caminho para casa, sabendo que havia perdido Osvaldo, Walt criou o Mickey Mouse.

6. Acredite em si mesmo, mesmo quando todos dizem que você é louco

“Quando você acredita em uma coisa, acredite nisso até o fim. Sem sequer questionar.”

Walt Disney teve uma relação única com seu irmão, Roy Disney. Walt lançava uma ideia para Roy. Roy dizia não e tentava convencê-lo. Walt continuava de qualquer maneira, e Roy acabava cedendo e financiando o projeto. Ao longo de toda a sua carreira, disseram a Walt o que não poderia ser feito. Disseram a ele que ninguém iria assistir a um longa-metragem animado. Disseram a ele que não era possível mesclar animação e vida real. Disseram a ele que sua ideia de um parque temático falharia miseravelmente. Disseram até que o Mickey Mouse era uma má ideia porque um rato assustaria as mulheres.

Ele provou que, não era porque algo não havia sido tentado antes, seria impossível. Impossível é uma palavra usada por quem pensa pequeno, e Walt Disney sonhou grande. Ele tinha uma crença inabalável em si mesmo e no que estava fazendo; isso era tudo o que importava.

No dia da inauguração da Disneylândia, cinco anos após a morte de Walt, alguém comentou com o diretor de criação Mike Vance que era uma pena o Walt Disney não ter vivido para ver esse dia. Vance respondeu: “Ele viu isso. E é por isso que está aqui”.

7. A resiliência é o melhor amigo de um empreendedor

“A diferença em ganhar e perder é na maioria das vezes não desistir.”

Walt levou 16 anos para obter os direitos de fazer Mary Poppins, hoje tido como um dos melhores filmes daquela época. Os problemas que enfrentou com o autor P. L. Travers são tão infames que eles foram colocados no filme. Ele foi recusado 302 vezes quando procurava um financiamento para a Disneylândia antes de chegar a um acordo com os estúdios de televisão. E na história mais inacreditável, ele foi demitido de seu primeiro emprego em um jornal por não ser criativo e inovador o suficiente! Mais tarde, ele comprou a empresa.

A resiliência é a capacidade de suportar ou recuperar rapidamente de circunstâncias difíceis. Walt enfrentou muitas dificuldades que teriam feito uma pessoa qualquer desistir. Walt conseguiu continuar lutando porque acreditava em si mesmo e em seus sonhos, dando-lhe a resiliência para trabalhar duro e torná-los realidade. Ele acreditava em fazer o que fosse necessário para fazer o trabalho e, portanto, obteve resultados que superaram o que qualquer um poderia ter imaginado.

Quando perguntaram a Walt qual era o segredo para o sucesso dele, ele pensou por um tempo e então disse isso: “Eu sonho, eu ponho a prova meus sonhos contra minhas crenças, eu não tenho medo de correr riscos e trabalho no que eu acredito para fazer esses sonhos realidade.” Hoje, as regras do sucesso não são diferentes. Se Walt Disney, um homem com educação limitada de uma família pobre, pôde criar um império de entretenimento a partir do nada, o que está impedindo você de sonhar tão grande?